Transparência e informação para todas e todos: conheça nosso processo curatorial

Nossa equipe teve a alegria de realizar a curadoria de protótipos para apresentação na maior convenção de jogos de mesa da América Latina!

A Área de Protótipos DOFF & Mulheres Tabuleiristas é uma parceria inédita entre a Liga Brasileira de Mulheres Tabuleiristas e o Diversão Offline.

A parceria estabelece um marco histórico no mercado de jogos nacionais, com a primeira estruturação da Área de Protótipos do evento a partir de uma iniciativa focada em ações de impacto social, com uma curadoria especializada.

Com a inovação da Liga Brasileira de Mulheres Tabuleiristas, a parceria conta com uma série de realizações:
> Levantamento de dados e análise da pluralidade de perfis sociais nas inscrições;
> Comunicação focada no incentivo ao protagonismo de mulheres, fomentando a diversidade na participação;
> Curadoria especializada, com referencial padronizado para análise;
> Ações de fomento ao protagonismo de mulheres: suporte às participantes selecionadas, com foco na viabilização da presença, prevenção de desistências e orientação para aprimoramento dos materiais (protótipos físicos) para apresentação nos dias do evento;
> Integração da Área de Protótipos à convenção como um todo, com a missão de torná-la mais viva e visível às marcas presentes e ao público geral;
> Suporte continuado pós-evento, de modo permanente e vinculado às ações gerais da Liga Brasileira de Mulheres Tabuleiristas, com foco no protagonismo de mulheres.

A seguir, você pode conhecer os detalhes do nosso processo curatorial.

O Processo Curatorial

Procuramos identificar protótipos funcionais, originais e apresentados de forma clara e precisa, com responsabilidade sobre suas referências e representações.


O processo curatorial foi realizado em 03 etapas:
1. avaliação unitária de todos os protótipos inscritos – etapa eliminatória;
2. segunda avaliação dos protótipos não-eliminados (os 20 melhor avaliados);
3. certificação e fechamento da seleção, com base na somatória de resultados das etapas 1 e 2.

Havia propostas muito instigantes, porém sem exemplificações ou informações que nos permitissem verificar como funcionariam em uma partida, por isso perderam muitos pontos. Por outro lado, algumas propostas relativamente simples estavam perfeitamente explicadas, e apresentadas de modo a transmitir segurança de que poderiam facilmente ser compreendidas e experimentadas por editores e pelo público geral.

A avaliação seguiu os critérios a seguir, sendo cada um deles fragmentado em tópicos específicos, avaliados por meio de uma métrica padronizada de pontuações (sistema “x pontos” por cumprimento de cada tópico), para que o processo fosse o menos subjetivo possível.

Os critérios de referência foram:

  1. Estruturação e clareza na explicação das regras
  2. Detalhamento das informações pertinentes ao jogo
  3. Criatividade e inovação
  4. Integração do tema aos mecanismos
  5. Representação de referências presentes na obra
  6. Potencial de publicação e vendas
  7. Defesa argumentativa do jogo pela pessoa autora
  8. Precisão, correção conceitual e clareza nas respostas ao Formulário de Inscrições sobre:
    a) ideia geral e dinâmica do jogo;
    b) mecanismos presentes;
    c) categorias às quais o jogo pertence;
    d) definição de público-alvo.

A delimitação consciente de um público-alvo coerente com a proposta do jogo, além de uma boa defesa argumentativa de seus diferenciais, também foram elementos decisivos para esta avaliação.

Nossa equipe curatorial para esta primeira edição da Área de Protótipos DOFF & Mulheres Tabuleiristas foi composta por integrantes e lideranças da Liga com densa experiência no suporte ao desenvolvimento de jogos modernos de tabuleiro e cartas.

Coordenação curatorial: Nanda Sales
Curadoria: Bárbara Côrtes, Cynthia Dias, Nanda Sales, Tânia Zaverucha

Para saber mais ou enviar suas dúvidas, clique aqui e entre em contato conosco!